Lá se vão mais de quatro meses da passagem do tornado, com ventos de até 240 km/h, que atingiu 1.713 residências em Xanxerê e a reconstrução das casas na cidade do oeste de Santa Catarina continua.

A Cáritas Brasileira Regional Santa Catarina, em parceria com a Diocese de Chapecó e a Paróquia Senhor Bom Jesus, de Xanxerê, mobilizou-se para arrecadar fundos com a campanha SOS Xanxerê e, até agora, ajudou cerca de 120 famílias com a compra de materiais de construção.

Outras 100 já estão cadastradas e devem receber as doações esta semana. O cadastramento feito por voluntários da Paróquia continua e deve concluir o levantamento das necessidades dos dois últimos bairros atingidos – que concentram 30% das famílias – nas próximas semanas.

A previsão é que os cerca de R$ 350 mil arrecadados sejam totalmente distribuídos em forma de materiais de construção ou outros utensílios até o mês de outubro. A média da ajuda recebida pelas famílias é de R$ 3 mil, mas a prioridade é dada para aqueles que mais precisam.

Segundo a Defesa Civil, 164 casas foram totalmente destruídas. “São famílias que levaram anos para construir seu lar e de repente perderam tudo”, explica o padre Marcelo Samaroni Spézia.

“É importante destacar que mesmo com a presença do Estado, continua sendo um desafio o controle social e a organização dos atingidos. É nesse sentido a Cáritas atua: trabalhando para garantir a essas famílias atingidas seus direitos”, salienta a coordenadora de projetos da Cáritas Regional, Fabiana Gonçalves.

Veja algumas fotos das entregas de materiais já realizadas:

Confira as fotos da cidade após a passagem do tornado, em 20 de abril:

A atuação da Cáritas na prevenção e gestão de emergências

A Cáritas Brasileira Regional de Santa Catarina tem desenvolvido um trabalho nos últimos oito anos de atuação na gestão de risco e emergências. Neste sentido, vem construindo com as comunidades um acumulando de experiências participativas e de envolvimento local.  Este trabalho também contribuiu com uma atuação mais qualificada durante emergências no que se refere à resposta e à reconstrução da vida do atingidos. A Cáritas esteve presente na articulação e no apoio emergencial dos principais desastres dos últimos anos – 2008 em Blumenau, Lages, Criciúma, em 2011 e  2013 nas Regiões do Alto e Médio Vale do Itajaí e na Grande Florianópolis, e em 2014 nas Regiões de Joinville, Caçador e Chapecó.

Para além dos atendimentos emergenciais, a Cáritas desenvolve um trabalho de formação na linha de gestão de riscos e prevenção de desastres nas regiões de Caçador, Rio do Sul e na Arquidiocese de Florianópolis. Esse trabalho consiste em conscientizar as comunidades sobre a percepção do risco e na construção de parcerias com entidades de apoio e com a Defesa Civil.

“Sabemos que não podemos extinguir o risco, mas podemos amenizar suas consequências com o trabalho organizado nas comunidades”, explica Fabiana. Um exemplo desse trabalho é a criação de Núcleos de Comunitários Proteção e Defesa Civil em Florianópolis e em Rio do Sul.