O projeto Fortalecendo Experiências de Economia Solidária – Fortees tem como um dos objetivos específicos, ampliar a rede de Empreendimento de Economia Solidária junto a grupos sociais em situação de exclusão social, para isso tem como público prioritário, a população a população usuária dos benefícios do Cadastro Único para Programas Sociais. Para que esse trabalho aconteça, nós do projeto Fortees II, precisamos contar com a colaboração e envolvimento de parceiros locais e os gestores da política de assistência social nos Centros de Referencias da Assistência Social (CRAS), com o intuito de fomentar a geração trabalho e renda.

Em Criciúma funcionam exatamente 06 unidades de CRAS, sendo que se localizam em bairros da periferia, a articuladora local do projeto, esteve visitando o CRAS – do Bairro Santa Luzia, com o objetivo de conhecer um grupo de mulheres que frequentam o mesmo, e também estar apresentando a proposta do projeto e convidando-as para fazerem parte do mesmo.

O grupo em questão é formado por umas vinte mulheres de várias faixas etárias, que se reúnem semanalmente para aprender a confeccionar artesanatos. São pessoas, que apesar de muitas vezes passarem por problemas econômicos e pessoais, ainda assim conseguem encontrar nesse espaço, ânimo e condições de buscar alternativas para os problemas. E nós com a proposta do projeto, também queremos colaborar para que cada vez mais essas pessoas continuem a crescer, prosperar e viver dignamente como merece todo ser humano.

 

CRAS – Centro de Referência de Assistência Social

O CRAS é uma unidade publica estatal da política de assistência social, de base municipal, localizado em áreas com maiores índices de vulnerabilidade e risco social, destinado à prestação de serviços e programas sócio-assistenciais de proteção social básica as famílias e indivíduos, articulação destes serviços no seu território de abrangência e uma atuação intersetorial na perspectiva de potencializar a proteção social.

Tem como objetivo prevenir situações de risco social, por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. É um espaço onde são necessariamente ofertados os serviços e ações do Programa de Atenção a Família (PAIF), que é um serviço continuado de proteção social básica. É também a unidade efetivadora da rede sócio-assistencial do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).
Seus programas, projetos, serviços e benefícios destinam-se à população em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, privação e/ou fragilização de vínculos afetivos, relacionais e de pertencimento social (discriminações etária, étnicas, de gênero ou por deficiência, dentre outras). (Fonte: Prefeitura Municipal de Criciúma)

Maria Salete

Articuladora Local da Região de Criciúma