Quinze haitianos receberam no domingo, 14, certificado de participação nas aulas de escrita e conversação de língua portuguesa. As aulas de português, encontros culturais e orientações foram oferecidas gratuitamente pela Cáritas Diocesana de Caçador.

De acordo com a secretária da Cáritas, Estela Maia, foi pela presença massiva de imigrantes na cidade, e também pelo trabalho já desenvolvido com imigrantes pela rede Cáritas internacional, que a Cáritas Diocesana organizou um projeto visando auxiliar essas pessoas.

“Outro motivo, que nos fez refletir sobre essa questão foi a campanha da fraternidade deste ano, que trata so tráfico humano, trabalho escravo. Tudo isso foi se juntando a necessidade de termos um trabalho mais efetivo com eles”, comentou.

Conforme Estela, a necessidade de efetivar o projeto casou com a presença de professoras aposentadas e voluntárias da Cáritas, que queriam ajudar a desenvolver o trabalho.

Com ajuda de Nosilien Ternesier, haitiano que está há um bom tempo em Caçador, foi realizado o cadastro de cerca de 60 imigrantes haitianos. “Em maio iniciamos as aulas de português, que era uma das primeiras necessidades deles”.

Por motivos particulares houve a desistencia das voluntárias e a professora contratada, Silvana Baldissarelli, assumiu as aulas.

Para ela, ensinar português aos haitianos soou, em primeiro momento, algo difícil e um tanto assustador.”No principio eu tinha receio, pois não falo inglês ou Frances, pensava em como eu iria me comunicar com eles. Mas quando a Estela me ligou, convidando, eu nem titubiei. Pensei que seria uma experiência diferente, mas resolvi encarar. Em termos de experiência profissional, foi a melhor que já vivi”, conta.

De acordo com a professora, a dedicação dos alunos e a educação que possuem, ajudou a se superar na aprendizagem do idioma.

Durante os oito meses de aulas, cerca de 60 haitianos estiveram envolvidos no projeto, destes, os quinze mais assíduos receberam o documento de certificação.

O Projeto “Eu era estrangeiro e me acolheste” é desenvolvido pela Cáritas Diocesana de Caçador e apoiado pelo Fundo Nacional de Solidariedade da CNBB.

As aulas terão continuidade em 2015

De acordo com Estela, o Instituto Federal de Santa Cataria (IFSC- Campus Caçador) está com uma proposta para dar continuidade ao projeto das aulas de língua portuguesa para os estrangeiros. A inscrição pode ser feita pelo site do IFSC, no seguinte link: https://sistemadeingresso.ifsc.edu.br/principal.php e pode ser cursado por qualquer estrangeiro.

Karolline Bertotto

Repórter/Jornal Extra