A Campanha da Fraternidade de 2011 abordou uma temática muito importante para os dias atuais que é a manutenção da vida no planeta. Será que a vida está ameaçada no planeta? De onde vem esta ameaça? Existem formas de enfrentar esta ameaça? Quem são os principais responsáveis em ameaçar a vida no planeta?

Na busca de encontrar respostas para estas e outras perguntas que mais de 50 lideranças sociais da Arquidiocese de Florianópolis se encontraram na paróquia de Biguaçu, na tarde do dia 23 de novembro no Seminário Arquidiocesano das Pastorais Sociais, que teve como tema: Mudanças Climáticas e Justiça Social. A motivação para abordar este assunto durante o seminário foi sua relevância e atualidade, sendo proposto como tema da Semana da Solidariedade e da Campanha da Fraternidade.

A assessoria do seminário foi feita por Ivo Poletto que é Assessor do Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social e também da Cáritas Brasileira e das Pastorais Sociais.  O referido Fórum é uma ação da Comissão Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz – CNBB.

Durante a exposição do tema, Poletto abordou que estamos vivendo uma era de grandes transformações ambientais, que apresenta grandes incertezas sobre como será a permanência da vida no planeta. Embora muitos cientistas neguem, há diversas pesquisas que comprovam que as mudanças climáticas são provocadas pela ação humana. As conseqüências das mudanças climáticas são percebidas diariamente com a ocorrência constante de catástrofes ambientais, derretimentos das geleiras ou desaparecimento de diversas espécies animais e vegetais.

Segundo Poletto, não é possível dissociar as mudanças climáticas da justiça social, pois é justamente o modelo econômico vigente o principal agressor/destruidor do meio ambiente. Para ele, é em nome da acumulação ou do processo de consumo acelerado que florestas são destruídas, rios são contaminados, recursos naturais são extintos.

Por último, Ivo Poletto convocou a todos a iniciarem a mudança a partir daquela data, fortalecendo novas experiências baseadas no desenvolvimento solidário e sustentável.

Para Fernando Anísio Batista, coordenador da Ação Social Arquidiocesana, “o seminário foi um marco na sensibilização de um tema muito relevante para os dias atuais. Sendo muito importante que todos cristãos tenham conhecimento dos grandes problemas ambientais da atualidade e que possam ter atitudes concretas de mudança desta realidade, buscando a manutenção da vida no planeta”.

Por Maria Antonia Karsten, da equipe da Ação Social Arquidiocesana de Florianópolis.
Fotos: Pastorais Sociais da Arquidiocese de Florianópolis.