Voluntários da Cáritas Jordânia levaram  refugiados da Síria e do Iraque  para se encontrar com o Papa Francisco na cidade de Betânia. O Papa agradeceu a Cáritas por seu trabalho ajudando refugiados capturados em conflito no Oriente Médio, durante sua visita à Terra Santa entre os dias 25 e 27 de maio.

Na primeira etapa de sua viagem, o papa citou o trabalho da Cáritas  e como ela estava ajudando refugiados sírios expulsos de suas casas.

“A Igreja Católica, na medida das suas capacidades, tem procurado prestar assistência aos refugiados e aos necessitados, especialmente através da Cáritas Jordânia”, disse ele. A Cáritas ajudou mais de 360.000 sírios prestando socorro humanitário desde o início do conflito, por meio de seus cinco centros e sua rede de voluntários da Jordânia e da Síria.

Foram levados quarenta refugiados sírios e iraquianos, tanto muçulmanos e cristãos, para conversar com o papa onde eles tiveram a oportunidade de compartilhar suas experiências.

“Estamos muito felizes porque ele vai ver os cristãos no mundo árabe, ele vai ver o nosso sofrimento “, disse Nazik Malko, um sírio refugiado cristão ortodoxo de Maaloula que estava no evento.

“Desejamos que a paz seja restaurada em todo o mundo, e na Síria”, disse Nazik .

Papa Francisco disse à multidão reunida em Betânia: “meus pensamentos são também para o trabalho de caridade realizado por instituições da Igreja, como a Cáritas Jordânia entre outros que , por cuidar dos necessitados, sem distinção de religião, etnia ou ideologia, têm mostrado o esplendor do rosto de caridade de Jesus misericordioso. Que o Deus Todo-Poderoso e Benevolente abençoe a todos vocês e todos os seus esforços para aliviar o sofrimento causado pela guerra”.

“A mensagem do papa, em particular, para a Caritas de todo o mundo, reflete o compromisso e re-duplica a nossa responsabilidade para com a nossa missão e visão para continuar a ajudar os necessitados e vulneráveis. Fazemos isso não só através de meras ações, mas através das vidas pessoais e individuais de cada membro desta organização mundial da Igreja: esta ‘Família Humana’ “, afirma o civil Wael Suleiman e continua “o Papa Francisco nos encoraja a continuar esta missão em nosso amado país . Nós estaremos aqui para qualquer necessitado, vulnerável e pobre, mantendo nossas portas e corações abertos para ajudar com amor”.

Papa Francisco continuou a sua peregrinação à Terra Santa, até segunda-feira, pedindo aos líderes palestinos e israelenses para liderar seu povo em direção à paz . O papa convidou o presidente palestino, Mahmoud Abbas, e o presidente israelense Shimon Peres ao Vaticano para se juntar a ele em oração a Deus pelo dom da paz.

“Eu ofereço a minha casa no Vaticano como um lugar para este encontro de oração”, disse o papa.

Fonte: Caritas Internationalis