A oficina de hortas comunitárias realizada em maio na região de Tubarão tem demonstrado resultados concretos. Motivado pela participação na oficina, o agente social Rodrigo Manoel da Silva, do CRAS da Villa Vitória, município de Laguna, organizou uma horta comunitária no espaço do CRAS. Até o presente momento a horta conta com a ajuda de pessoas voluntárias da comunidade, bem como as demais agentes que atuam no referido CRAS juntamente com as crianças.

A oficina foi promovida pela Cáritas Brasileira Regional Santa Catarina através do projeto “Fortalecendo Experiências de Economia Solidária em Santa Catarina”, patrocinado pelo Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, da Petrobras. A Cáritas Diocesana de Tubarão é parceira na execução local do projeto.

 

Participação na oficina gerou a construção de uma horta comunitária em Laguna/SC

Para a assistente social Andréia, há uma preocupação para que seja incentivado nas crianças um despertar para uma alimentação saudável na qual as verduras sejam incluídas na alimentação. Levar a criança a participar do desenvolvimento da própria planta é ajudá-la a se integrar num conjunto solidário no qual o ser Humano e a natureza participem integralmente.

Segundo Rodrigo Manoel, há interesse em formar uma horta comunitária com a participação dos pais, porém foi iniciado com as crianças a fim de que estes motivem os pais a participar. Até o presente momento, afirma que as mães estiveram visitando e algumas se mobilizaram a trazer sementes de flores, para serem semeadas próximas ao espaço da horta.

Com o objetivo de conhecer mais de perto este trabalho, no dia 12 de setembro, a articuladora local esteve visitando o referido CRAS e oportunamente participou de um encontro no local, onde estiveram presentes mais de 30 crianças, pertencentes a outros CRAS e Programas Sociais do referido município, juntamente com pedagogos, agentes sociais, assistentes sociais e a secretária da Assistência social do município. Foi um momento para reflexão integrada com dinâmicas sobre Economia Solidária incluindo a horta, como um despertar para o consumo de alimentos naturais. O lanche servido no final contou com os legumes colhidos da horta e despertou para que fosse possível perceber o quanto a perseverança e a dedicação fazer a diferença.

Por Catarina De Faveri, articuladora local na região de Tubarão.