Cerca de 80 mulheres estiveram reunidas no dia 28 de junho, no 1º Encontro de Inclusão Produtiva, para uma tarde de trocas de experiências, dinâmicas e para conhecer a Economia Solidária. O evento foi promovido pela Secretaria do Sistema Social de Criciúma, reunindo os grupos das seis unidades do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do município.

Participantes do Encontro de Inclusão Produtiva atentos à apresentação da Economia Solidária

Para falar sobre Economia Solidária, esteve assessorando o encontro a articuladora do Projeto Fortalecendo Experiências de Economia Solidária em Santa Catarina, Morgana Rosso que trabalhou os conceitos e princípios da Economia Solidária. O projeto realizado pela Cáritas Brasileira Regional Santa Catarina, com apoio da Cáritas Diocesana de Criciúma patrocinado pelo Programa Petrobras Desenvolvimento e Cidadania, da Petrobras.

Durante o encontro, experiências e depoimentos foram apresentados como este: “A minha vida mudou muito com a Economia Solidária”, disse a presidente da Associação dos Catadores de Criciúma e integrante do grupo Arte d´Mãos, Cristiane Inácio. “Hoje vivo muito melhor do que antes  consigo manter a minha família”, contou Cristiane.

Projeto Fortees acompanha grupos de inclusão

A Economia Solidária é também uma estratégica de enfrentamento e de inclusão social, que visa além da geração de trabalho e renda, a emancipação das pessoas envolvidas. Através do Projeto Fortees, dois grupos de inclusão produtiva (Recriarte e Arte d’Mãos), participam de cursos e debates de um novo projeto de desenvolvimento sustentável, solidário e coletivo.

Por Morgana Rosso, jornalista e articuladora local na região de Criciúma. Fotos de Elizandra Alves do Nascimento.