CABEÇALHO SITE

Gestores de diversas áreas de atuação social, envolvidos em programas de geração de trabalho e renda, tiveram a oportunidade de compreender melhor a estratégia de desenvolvimento da Economia Solidária (ES) nas suas regiões de atuação. Eles e elas participaram da Oficina temática sobre EcoSol realizada em duas etapas, nos dias 23 e 30 de julho, nos municípios de Florianópolis e Porto Belo, respectivamente.

Esta oficina é uma atividade prevista pelo projeto Fortalecendo Experiências de Economia Solidária (FORTEES), teve como propósito envolver representantes de órgãos de governos municipais das regiões da grande Florianópolis e Vale do Itajaí. Teve como objetivo sensibiliza-los: para uma formação continuada e aprofundada; da importância de fomentar e desenvolver iniciativas de trabalho e geração de renda em comunidades vulneráveis; de criar/fortalecer políticas públicas voltadas para os interesses coletivos dos EES, considerando os desafios que estes apresentam nos seus perfis econômico e social.

Em Florianópolis, a oficina aconteceu no auditório da Secretaria Regional do Trabalho e Emprego do Ministério do Trabalho e Emprego (SRTE/MTE-SC), com a participação de onze pessoas, representando secretarias, CRAS e Ministério do Trabalho e Emprego em Santa Catarina (MTE-SC).

Em Porto Belo, estiveram presentes 33 pessoas representando oito municípios, sendo 25 gestores públicos, duas representantes de entidades de apoio e seis de empreendimentos econômicos solidários.

O prefeito do município de Porto Belo, Evaldo José Guerreiro Filho, fez a abertura da oficina, reconhecendo a importância do espaço a discussão coletiva de propostas de políticas públicas que possibilitem viabilizar práticas solidárias. A articuladora do projeto FORTEES na região apresentou o projeto, as atividades realizadas, sua abrangência e resultados alcançados. Na sequência, o assessor Fernando Anísio Batista, secretário executivo da Ação Social Arquidiocesana, fez um breve histórico da Economia Solidária no país, Santa Catarina e na região da Grande Florianópolis; apresentou conceitos e princípios da EcoSol, o que é empreendimento autogestionário e qual o papel do gestor público.

Outros assuntos abordados foram o comércio justo, as feiras, a importância da Lei Municipal de Economia Solidária atrelada ao desenvolvimento local; sobre a formação do protagonismo local para o empreendedorismo, tais como, a criação de cooperativas ou associações; sobre a articulação nos Fóruns e Redes de EcoSol, e, por fim, sobre experiências exitosas desenvolvidas pela Cáritas/Entidades-membro em Economia Solidária, como a experiência vivenciada nos quatro anos de execução do Projeto FORTEES.