Representantes do Fórum Municipal do Lixo e Cidadania de Criciúma usaram, em julho, o espaço da tribuna para explanar os objetivos e fazer solicitações aos vereadores criciumenses.

O professor e pesquisador em Gestão de Resíduos  e Gestão Ambiental da Unesc,  Mário Ricardo Guadagnin, apresentou as ações realizadas pelo fórum e pediu maior acompanhamento dos vereadores, no que se refere à políticas públicas voltadas a coleta seletiva de resíduos sólidos e a inclusão dos catadores.

O presidente da Associação Criciumense de Catadores (Acrica), João Batista Delfino cobrou dos vereadores ações em favor dos catadores. O catador lembrou ainda, que com a doação de um terreno, a associação poderá finalmente construir um galpão de triagem e armazenamento dos recicláveis, e assim, motivar os catadores a se organizarem em associação. “Com o galpão, não precisaremos mais tomar banho de chuva para catar os materiais nas ruas”, desabafa Delfino.

Presença da Igreja

A Cáritas Diocesana de Criciúma é uma das entidades do Fórum Municipal do Lixo e Cidadania. Há três anos, a entidade acompanha a cooperativa e a associação de Criciúma, mas o acompanhamento se dá também em outros municípios.

No mês de junho, foi realizada uma oficina para discutir a organização dos catadores e a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Esta foi uma atividade do Projeto “Fortalecendo Experiências de Economia Solidária em Santa Catarina”, executado pela Cáritas Brasileira Regional e patrocinado pelo Programa Desenvolvimento e Cidadania da Petrobras.

 

Por Morgana Rosso, da equipe da Cáritas Diocesana de Criciúma.
fotos: Guilherme Rampinelli