O sistema de produção agroecológico e de Economia Solidária iniciou no Alto Vale do Itajaí, com um grupo reduzido de agricultores da agricultura familiar. Contudo, o interesse tanto pela produção quanto pelo consumo de alimentos saudáveis, de cuidados com a saúde e de ambiente harmonioso, tem avançado significativamente! A agroecologia integral, como insiste o papa Francisco, é uma resposta redutora dos impactos ambientais e de um SIM consciente à saúde do ser humano!

Foto: Aurio Gislon

Foto: Aurio Gislon

Em sintonia com tudo isso, no dia 12 de abril, aconteceu na Praça Emembergo Pellizzetti no centro de Rio do Sul a Feira Mostra de Agroecologia e Economia Solidária. Trata-se de uma feira de alimentos de origem agroecológica rural e urbana, plantas nutracêuticas, mudas medicinais, artesanatos, produtos coloniais, apresentações culturais diversas, envolvendo estudantes de vários Colégios e de outros jovens artistas, exercícios de unibiótica, oficinas diversas. Um fator importante das Feiras é a parceria entre a Caritas, o Cemear, as Pastorais Sociais e Sabores da Roça, bem como, o apoio de várias outras entidades e pessoas conscientes da importância da alimentação saudável! A visita às escolas da região oportunizou ótimo diálogo entre os organizadores do evento, professores e alunos sobre a importância da agroecologia, da economia solidária em vista de um NÃO AOS AGROTOXICOS que tem como grande alvo: proteção da natureza, produção de alimentos confiáveis, otimização da saúde, (equilíbrio físico, emocional e espiritual), expansão da cultura do BEM VIVER tanto individual, quanto social e comunitário!

Chamou atenção a oferta de importantes oficinas, tais como: 1- Rodas de conversa: momento aberto para troca de produtos e experiências dos feirantes entre si e com os visitantes; 2- Alimentação saudável: (sal de ervas, pão funcional com “ora pro nobis”, sucos diversos, alimentos sem glúten, sem lactose etc…), realidade e impactos da alimentação contemporânea; 3- Miliponicultura: criação e manejo de abelhas indígenas (sem ferrão) 4- sementes crioulas: importância da manutenção das sementes crioulas, variedades e formas de reprodução; 5– plantas medicinais: variedade de especiais, formas de preparo e uso (tinturas, destilados, xaropes, pomadas, sabão medicinal, vinagre de maça, entre outros); 6– Unibiótica: prática que reúne movimentos e automassagens que aliam corpo e mente, promovendo a saúde física, mental e espiritual; 7– horticultura urbana: técnicas de produção de alimentos, compostagem e ajardinamento, que promovem a ocupação de pequenos espaços domésticos ou públicos; 8- Importância do cuidado dos primeiros mil dias da criança para o equilíbrio de toda a vida de uma pessoa; 9- artesanato (utilização de produtos recicláveis, confecção de bordados, artigos de decoração, pinturas, e a oficina “como calcular o preço de um artesanato”, etc…!

Foto: Aurio Gislon

Foto: Aurio Gislon

Outro aspecto a ser evidenciado é a programação cultural envolvendo a geração infanto-juvenil (Grêmio da EEB Paulo Zimmermann, Setor Juventude, Colégio Dom Bosco, IMA, Fundação Cultural, Grupo Folclórico do IFC, grupo indígena) e outras pessoas que espontaneamente se dispõem a enriquecer o ambiente da Feira! É sempre uma oportunidade impar para a socialização de dotes artísticos!

Também é de particular importância o apoio logístico de entidades e pessoas, por exemplo, projeto do Fundo Diocesano Solidário (Diocese), a doação de alimentos para as refeições dos feirantes (IFC e Irmãs Catequistas Franciscanas); o empréstimo de aparelhos de som (IMA), de mesas e cadeiras, da cozinha, louça e refeitório (catedral), uso da Praça, disposição de um veículo para transporte (Prefeitura), trabalho gratuito das cozinheiras (Norma, Selma, Rosane, Irmãs Rita e Isabel e da jovem aspirante Charlene), espaço de divulgação na Imprensa escrita Jornal O Riossulense, da RBA e Radio Mirador e spots nas rádios comunitárias do Alto Vale.

Enfim, uma Feira Agroecológica e de Economia Solidária deste perfil, socializa o campo e a cidade, solidariza o bem de cada grupo e das pessoas, consolida costumes e práticas do BEM VIVER.

A próxima Feira-Mostra de Agroecologia e Economia Solidária acontecerá nos dias 19 e 20de outubro, pois que nessa semana comemora-se no mundo inteiro a “Semana Mundial da Alimentação Saudável”. Para comemorar esta data, serão organizadas várias atividades e ações de promoção à segurança alimentar e nutricional, de práticas saudáveis de alimentação e de saúde integrativa, em vista do BEM VIVER!

Ir. Carmela Panini

Cáritas Diocesana de Rio do Sul

Fotos: Aurio Gislon – Jornal O Riossulense