Gestão Administrativa e Financeira foi o tema central discutido durante o encontro

Aconteceu no dia sete de julho de 2012 o Seminário Arquidiocesano sobre Gestão Administrativa e Financeira, promovido pelo Fundo Arquidiocesano de Solidariedade (F.A.S.) na Paróquia Santo Antônio em Campinas – São José. O encontro que contou com a presença de 35 pessoas representantes das Ações Sociais e Pastorais Sociais, deu início a um debate importante para a gestão de entidades sociais e pastorais.

Anderson Giovani da Silva, Gerente Executivo do ICom – Instituto Comunitário Grande Florianópolis, organização que articula, mobiliza e apoia investidores sociais e organizações da sociedade civil para promover o desenvolvimento comunitário contribuiu com a reflexão do Seminário.

Na primeira parte da manhã, o tema trabalhado foi Desenvolvimento Institucional, enquanto conjunto de processos e iniciativas que visam assegurar a realização de maneira sustentável, da missão da organização, fortalecendo o seu posicionamento estratégico na sociedade. Pensar em Desenvolvimento Institucional é antes de tudo, discutir Identidade da Entidade, Gestão, Resultados e Parcerias.

Quem somos? Qual a missão de nossa Ação Social ou Pastoral para a sociedade e Igreja? De que forma essa entidade/pastoral é gerenciada? É participativa, democrática ou autocrata? E ainda, que resultado se quer alcançar com a ação, e quais são os parceiros que queremos. Esses elementos são importantes de serem trabalhado e amadurecido entre os diretores e coordenadores, para que de maneira segura possa realizar projetos e captar recursos.

Na parte da tarde, o grupo participou de uma Oficina de construção de projeto, a partir de uma metodologia específica. Essa atividade proporcionou aos participantes uma reflexão da realidade, pensar objetivos, ações, resultados e aspectos financeiros. Ao final foram orientados, que a partir da Revista n.º 02 da ASA, “Como organizar Ação Social”, as entidades e pastorais pudessem ter noções básicas de gestão e administração financeira.

Por Maria Antonia Carioni Carsten, assistente social da equipe da Ação Social Arquidiocesana de Florianópolis.