CABEÇALHO SITE

“As iniciativas solidárias possibilitam a vivência grupal, a experiência coletiva de tomada de decisões, o acesso à educação, a ocupação dos espaços públicos.” (Adriana Lucinda de Oliveira)

A cada dia explodem novas experiências em Economia Solidária na região de Tubarão, desde o surgimento do Projeto Fortalecendo Experiências de Economia Solidária em Santa Catarina (FORTEES). É, sobretudo, o despertar do protagonismo e o empoderamento das mulheres dos grupos de Economia Solidária, com incentivo na partilha solidária de conhecimentos, buscando a valorização e o crescimento da autoestima.

No dia 17 de junho, integrantes da Padaria Alternativa Vitória, de Laguna, estiveram no bairro Floresta, em Braço do Norte, na Padaria Nosso Pão, para realizar uma oficina de orientação sobre a organização da padaria. Foram abordados desde o layout até a produção de doces e pães orgânicos artesanais com abóbora, aipim, batata doce, cenoura, beterraba e espinafre.

Todos esses produtos naturais que servem de matéria prima são produzidos também no produzidos no bairro, pelo grupo de Economia Solidária Orgânicos Vida Saudável, um grupo de homens que reaproveitam os terrenos desocupados no bairro para plantar.

A padaria Alternativa Vitória vem sendo acompanhada pela Cáritas há quase 20 anos. Antes de iniciar a oficina Rosimeri, da Padaria Alternativa Vitória, manifestou o compromisso formativo no enfoque da Economia Solidária. “A Economia Solidária é uma lição de vida”, afirmou.

No dia 9 de julho, aconteceu outra oficina no mesmo bairro, agora com a temática da fabricação de sabão artesanal. Desta vez o protagonismo era do grupo Aromartes, um dos grupos novos que surgiu a partir da parceria com os CRAS de Tubarão e que iniciou sua produção em janeiro de 2015. As integrantes estiveram orientando um grupo de mulheres do grupo Restaurartes, também acompanhadas pelo projeto FORTEES, sobre a fabricação de sabão artesanal, como oportunidade de incremento da renda e reutilização criativa de óleo e gorduras, que poderiam contaminar a água se descartados diretamente nos esgotos.

Foi interessante perceber a alegria de cada grupo. As que ensinavam, por se sentir valorizadas e, as outras, pelo fato ver na produção do sabão uma nova alternativa de renda. O que mais anima os grupos para a produção do sabão é a qualidade do produto, que faz o cliente volte a adquirir.

Na oficina diversas receitas foram ensinadas e, entre elas, a utilização de ervas aromatizantes e medicinais na produção do sabão.

Essas oficinas despertam o protagonismo, o empoderamento, promovendo a solidariedade na troca de saberes e despertando a potencialidade das integrantes. Elas facilitam o debate, e a elaboração de estratégias de mudança. Assim, as mulheres têm na Economia Solidária mais um caminho para tornarem-se sujeitos políticos, pessoas empoderadas que, a partir de suas especificidades, constroem o presente e o futuro.

Catarina De Faveri

Articuladora FORTEES da região de Tubarão