Construir políticas públicas em Economia Solidária é um dos maiores desafios para região de Tubarão. A falta de interesse e o desconhecimento por parte do poder público torna-se um dos principais entraves para o Fórum Regional de Economia Solidária.

Pensando em ampliar a participação do poder público, o Fórum está buscando avançar na formação dos integrantes. Na última segunda-feira, 25 de maio, na reunião ordinária, o tempo foi dedicado a estudos sobre a construção de Políticas Públicas para a Economia Solidária na região de Tubarão.

Estiveram presentes cerca de 30 participantes, de 15 Empreendimentos de Economia Solidária (EES) acompanhados pelo projeto Fortalecendo Experiências de Economia Solidária (FORTEES), incluindo grupos que fizeram sua primeira participação no espaço.

O Secretário Nacional da Economia Solidária, Paul Singer, no 1º Fórum Mundial de Economia Solidária – Santa Maria/RS em 2013 – admitiu que “O maior inimigo da Economia Solidária é o desconhecimento da mesma”.  É para lutar contra esse inimigo que o projeto FORTEES – realizado pela Cáritas, com patrocínio da Petrobras –, desde a sua primeira fase empenhou-se na criação e acompanhamento do Fórum Regional de Economia Solidária.

Atualmente, o Fórum Regional reúne-se todos os meses e conta com a participação de quase todos os EES acompanhados pelo projeto FORTEES. O apoio financeiro para os ESS participarem torna-se de fundamental importância, pois possibilita e estimula a integração, principalmente dos grupos novos e iniciantes. Os grupos consolidados já possuem uma maior participação nas atividades, buscando incluir-se na coordenação do Fórum Regional, na participação do Fórum Estadual e também no Conselho Estadual de Economia Solidária.

O Fórum Regional está organizado com a participação dos EES e de instituições de apoio como a Cáritas Diocesana de Tubarão e a Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP – UNISUL). No entanto, o Fórum ainda carece uma maior participação de gestores públicos, o que dificulta o processo de organização da Economia Solidária.

Catarina De Faveri, articuladora FORTEES da região de Tubarão