Este é um tempo de lutar pela paz, lutar por um país mais justo, que promova a vida e garanta direitos. Agora é o tempo de MOBILIZAR as pessoas para a PARTICIPAÇÃO – para ajudar a construir uma sociedade muito mais digna e muito melhor do que essa que a gente vive. Ser cidadão e ser cidadã exige de nós uma consciência crítica e a participação ativa na nossa sociedade.

Em Lages, realizamos a II Conferência Municipal de Integração dos Direitos às Políticas Públicas, abrangendo as políticas setoriais de Assistência Social, Saúde, Educação, Direitos da Criança e do Adolescente, Segurança Alimentar, Idoso e Mulher.

A Cáritas Diocesana de Lages é presença ativa nestes espaços de controle social das políticas públicas. Após a realização do relatório final da Conferência de Lages, Pe. Dilmar Sell, assessor da Cáritas, em relação as oficinas, assim descreve:

1º) O perigo da culpabilização dos pobres (apontar o dedo); 2º) Todo o orçamento financeiro público revela a prioridade dos governantes, ou seja, a política para quem? 3º) A formação acadêmica inicial (teoria) deve ter a formação continuada, ou seja, com a realidade, um novo saber, não transmitido, imposto, mas construído, como processo, com a comunidade; 4º) Complementaridade de recursos financeiros.

Agora, as deliberações das Conferências são os nossos desafios que devem ser analisadas nos espaços dos conselhos e transformadas em ações efetivas pelo Poder Público e pela sociedade em geral.

 

Conferência é construção! Vamos aprendendo e reconstruindo na caminhada… fazendo acontecer a democracia participativa!

Por Jamile Yared, Cáritas Diocesana de Lages. membro da rede de comunicadores.