Organização e inclusão social. Estes foram os objetivos que reuniram 50 catadores de materiais recicláveis da região sul do Estado no dia 17 de junho, no Centro de Pastoral da Paróquia Santa Bárbara em Criciúma. A oficina promovida pela Cáritas Diocesana é uma das atividades do Projeto “Fortalecendo Experiências de Economia Solidária em Santa Catarina”, executado pela Cáritas Brasileira Regional e patrocinado pela Petrobras.

Durante oencontro, assessorado pelo professor e pesquisador em Gestão de Resíduos  e Gestão Ambiental da Unesc,  Mário Ricardo Guadagnin, os catadores expuseram suas dificuldades e sonhos . Entre os desafios, os trabalhadores discutiram sobre o preconceito.

Para o professor, somente com a organização dos catadores e com olhar solidário da sociedade, estes exemplos não mais existirão. “Os catadores precisam ser vistos como agentes da gestão do lixo, como agentes ambientais”, assegura Guadagnin.

Além da organização em cooperativas e associações, o assessor falou sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei  12.305). A nova legislação, em vigor desde agosto de 2010, insere os catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis nas ações que envolvam a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos.

Participaram da oficina, catadores de Araranguá, Criciúma, Cocal do Sul, Forquilhinha, Içara, Jaguaruna e Urussanga. “É importante a participação nestes espaços. Aprendemos muito na rua, mas é aqui que nos fortalecemos e aprendemos juntos”, avaliou o presidente da Cooperativa de Trabalhadores de Materiais Recicláveis, Zacarias Rosa.

 

Por Morgana Rosso, articuladora local na região de Criciúma.